Etiquetas

 

santo antonio br

Caros confrades,
“O Senhor lhes dê a Paz!”

Iniciei o mês de junho em Aracaju, participando da abertura da Trezena de Santo Antônio; em seguida fui a Penedo, Salvador, São Francisco do Conde, Ipojuca, Fortaleza… São muitos os lugares em nossa Província onde Santo Antônio é festejado. E, certamente, em todas as Fraternidades o “Doutor Evangélico” é lembrado e celebrado por nós junto ao povo de Deus.
Hoje, dia 13 de junho, é Solenidade de Santo Antônio e Dia da Província! Aqui em Recife ele é padroeiro principal da cidade, da Arquidiocese e também do estado de Pernambuco.

Queremos que este dia seja uma oportunidade para celebrarmos o testemunho evangélico deste nosso confrade e, ao mesmo tempo, tomarmos consciência de nossa pertença à Província Franciscana de Santo Antônio do Brasil, nossa Fraternidade.

Santo Antônio, nosso padroeiro, frade menor como nós, é conhecido por ter sido grande pregador das Sagradas Escrituras. Iluminado por ela foi missionário e testemunha fiel no meio do povo de Deus. Queria que a Palavra de Deus fosse levada a sério, convertendo os corações e provocando a transformação da sociedade. Lutou pelos direitos dos pobres denunciando as injustiças que sofriam. Dizia aos que exploravam os pobres: “Quem aperta uma pessoa pela goela, tira-lhe a voz e a vida. As posses do pobre são a vida dele, e como a vida vive do sangue, ele deve viver disso. Se tirares aos pobres seus parcos haveres, estarás a sugar o sangue dele, estarás a sufocá-lo, e enfim tu mesmo serás sufocado pelo diabo”. Com a força profética das Sagradas Escrituras e o testemunho de vida austera, incomodou muita gente: do clero à nobreza, ricos e pobres!

Como primeiro mestre de teologia dos frades menores, autorizado por São Francisco, deixou para os frades e para a Igreja a riqueza de seus escritos, ou seja, os esquemas bem elaborados de seus sermões, iluminados por muitíssimas citações bíblicas, bem como de pensadores cristãos e das ciências da época, aplicados à vida concreta do povo de seu tempo. Conhecemos muitas citações de seus sermões embora devamos sempre situá-las no contexto de sua compreensão das Sagradas Escrituras. São cinquenta e três sermões dominicais, quatro das festas de Nossa Senhora e vinte festivos, perfazendo um total de setenta e sete. Todos nasceram de uma vida de profunda oração e contemplação, da leitura, meditação, vivência e pregação da Palavra de Deus.
Creio que hoje deveríamos nos perguntar sobre o lugar que a Palavra de Deus ocupa em nossa vida pessoal e fraterna. Como tornar nossas fraternidades lugar de escuta da Palavra de Deus e nossa missão anúncio testemunhal desta mesma Palavra? Se nossas fraternidades estiverem centradas na Palavra de Deus e na Eucaristia, a vida fraterna terá qualidade, profundidade e alegria, fazendo crescer o sentido de pertença que a torna o primeiro modo de evangelizar!

Nossa fraternidade, desde sua origem, está vinculada à escuta da Palavra de Deus e nela encontra sua identidade: somos irmãos menores!
Num tempo de tantas incertezas, relativismo, solidão e violência, nossa condição de irmãos menores, vivendo em fraternidade, na escuta da Palavra de Deus e num processo de permanente conversão é nossa contribuição para a construção de um mundo melhor, no qual a vida é levada a sério, pois tem sua origem num Deus que é amor! Esta é a fé que vivemos e professamos.

Neste dia festivo, rezem com o povo de Deus por nossa Fraternidade e façam uma coleta em prol das atividades de formação de nossa Província.
Caros confrades, desejo toda paz e todo bem a todos vocês como também ao povo de Deus com quem compartilham a vida e a missão.
Feliz Dia da Província! Viva Santo Antônio!

Recife, 13 de junho de 2013.
Frei Marconi Lins, ofm
Ministro Provincial